sexta-feira, dezembro 19, 2008

Mas Senhor

Eu já dei muitas desculpas para o Senhor ao longo dos anos. Algumas de minhas desculpas foram assim: "Mas, Senhor, queres que eu deixe a minha terra? Mas foi aqui que eu nasci. Gosto daqui. O Senhor quer que eu me mude para o sertão de Montana e abandone minha empresa lucrativa? Esse é o meu sustento. Isso é tudo o que eu sei fazer. O que desejas que eu faça lá? Como vou sustentar minha família? E quanto aos meus familiares e amigos? Como posso deixá-los? Mas, Senhor, isso não faz sentido."

A resposta dEle foi uma declaração bem simples: "Eu o instruirei e o ensinarei no caminho que você deve seguir; eu o aconselharei e cuidarei de você" (Salmo 32:8). Esse era um convite para uma vida de fé, dependendo continuamente dAquele lá em cima, mesmo que não fizesse sentido.

Após termos nos acomodado em Montana, a cada duas semanas durante três meses, tive de continuar viajando de volta a Wisconsin para finalizar a venda de minha empresa. Na última vez que voltei para casa, encontrei Sally abatida com pneumonia dupla e meus meninos sob o cuidado de vizinhos. Minha saúde foi afetada, e eu também contraí pneumonia dupla. Aprendemos bastante sobre tratamentos naturais durante aquele inverno e a clamar a Deus por sabedoria durante essas condições penosas.

Como se a doença não fosse suficiente, o riacho que supria nossa água congelou. Sem água, não podíamos usar o banheiro ou lavar roupa. Isso causou o congelamento de nossa fossa séptica. Nessas condições, tínhamos de derreter neve para uso geral, sair de carro para conseguir água potável, usar um banheiro externo e viajar 75 quilômetros até a cidade para lavar nossas roupas.

A pneumonia nos deixou fracos e cansados. Demorou vários meses para recuperarmos nossa força. Com a aproximação da primavera, decidi tentar fazer alguma limpeza no jardim. Sally corajosamente se ofereceu para me ajudar. Estávamos tentando mover alguns pedaços de toras, que pesavam centenas de quilos, equilibrando-os em um carrinho de mão, quando a roda bateu em um obstáculo e um pedaço caiu no chão esmagando o pé de Sally e fraturando-o em três lugares. Seis meses depois ela caiu e fraturou o outro pé. Era uma coisa atrás da outra.

"Mas Senhor... não estamos gostando disso. Está muito difícil. Parece que nos abandonaste. Será que tomamos a decisão errada?”

Todos diziam que estávamos loucos em fazer essa mudança. Do ponto de vista deles, buscar a Deus dessa maneira parecia uma loucura. Será que estávamos errados?

Precisávamos de uma conexão vital com um Deus vivo. Assim, seguimos em frente com fé, confiando não em nossos sentimentos, mas em Sua presença e em Sua promessa de nos ensinar o caminho que devíamos seguir.

Em três anos, tudo havia se acalmado. Aprendemos a clamar ao Senhor nas provas comuns de todos os dias e a agradecer por Jesus estar conosco. Aprendemos a enfrentar o "eu", admitir erros e buscar a Deus para que Ele nos ensinasse novas maneiras de reagir e lidar uns com os outros. Começamos uma rotina, estabelecemos um horário diário, iniciamos uma caminhada diária com Deus, que permitiu que nosso casamento fosse transformado.

Descobrimos que nossa experiência de estar "na igreja" tinha substituído a de estar "em Cristo." Nossa religião não era suficiente, e aqueles anos cheios de provações abriram nossos olhos, fortaleceram nossa fé e nos firmaram na principal obra de Deus, que é cuidar do casamento e da família.

O chamado de Deus ao coração é, muitas vezes, desconhecido para as pessoas ao seu redor. Você pode ser o único que sabe o que Deus está lhe pedindo naquele momento. Mesmo a sua esposa pode não saber o que o "mas Senhor" significa em sua vida. Seja o que for, você precisa lidar com essa questão. Precisamos entender que, quando decidimos não fazer uma escolha, na verdade nossa escolha foi rejeitar aquilo que Deus está pedindo que façamos.

Tem havido outros "mas" na minha vida, que Deus tem me ajudado a enfrentar. E você? Existe algo em sua vida, neste momento, que Deus está pedindo que Lhe entregue? Algum "mas Senhor" com o qual você está resistindo? O que está impedindo você? Será desistir da vida urbana com todas as suas armadilhas? Você teme a estrutura ou a disciplina de um horário diário regular? Talvez sejam velhos hábitos ou o regime alimentar. Para alguns, pode ser a pressão de colegas e a aceitação social. E para você?

Querido amigo, o evangelho não é uma doutrina ou uma igreja, mas uma vida, uma conexão vital e completa com o Deus de todo ser humano. Ele Se apoderará de todo o nosso ser se estivermos dispostos a nos entregar a Ele. Então, e somente então, poderá Deus restaurar a pessoa à Sua imagem. Esse é o verdadeiro cristianismo! Que possamos experimentar sua atuação diária em nossa vida! Que possamos nos apegar à graça habilitadora que está ao nosso alcance e não meramente esperar, mas decidir.

Jim Hohnberger, autor do livro Fuga para Deus (Casa), no qual conta como melhorou sua qualidade de vida e conquistou um relacionamento mais íntimo e autêntico com a esposa, os filhos e Deus. Mantenedor do site www.empoweredlivingministries.org.

Um comentário:

Christina Marques disse...

Olá! muito bom ler essas experiencias, li o livro Fuga para Deus e agora estou lendo Vida plena de Poder... a minha vontade é ter essa dependência de Deus.
Como fazer para entrar em contato com Jim Hohnberger?
Deus o abençõe!